* * Cantinho da Professora Gina de Paula * *: 05/05/2011

*****

Olá!

Visitante número:

****

Contador On Line

Seja seguidor(a)

Para seguir um blog...

Basta clicar em "SEGUIR" e colocar seu email.
Estou te esperando heim...

Seguidores

Os comentários são o maior estímulo para este trabalho.

Os comentários são o maior estímulo para este trabalho.

Confecção própria

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Homenagem a todas as mães do planeta!!!



Amor de Mãe
Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus:
- Dizem-me que estarei sendo enviado à terra amanhã... Como vou viver lá, sendo assim pequeno e indefeso?
E Deus disse:
- Entre muitos anjos, eu escolhi um especial para você.  Estará lhe esperando e tomará conta de você.
Criança:
- Mas diga-me: Aqui no Céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente
para que eu seja feliz. Serei feliz lá?
Deus:
- Seu anjo cantará e sorrirá para você... a cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu anjo e será feliz.
Criança:
- Como poderei entender quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas falam?
Deus:
- Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar.
Criança:
- E o que farei quando eu quiser Te falar?
Deus:

- Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar.
Criança:
- Eu ouvi que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?
Deus:
- Seu anjo lhe defenderá mesmo que signifique arriscar sua própria vida.
Criança:
- Mas eu serei sempre triste porque eu não Te verei mais.
Deus:
- Seu anjo sempre lhe falará sobre Mim, lhe ensinará a maneira de vir a Mim, e eu estarei sempre dentro de você. Nesse momento havia muita paz no céu, mas as vozes da terra já podiam ser ouvidas.
A criança apressada, pediu suavemente:
- Oh Deus se eu estiver a ponto de ir agora, diga-me por favor, o nome do meu anjo.
E Deus respondeu:
- Você chamará seu anjo de...
MÃE!


ATIVIDADES
Cartinha para a mamãe
Teste
Rasteirinha
 

MÃES SÓ MORREM QUANDO QUEREM
"Em geral, as mães, mais que amar os filhos, amam-se nos filhos." (Friedrich Nietzsche)
"Eu tinha 7 anos quando matei minha mãe pela primeira vez.
Eu não a queria junto a mim quando chegasse à escola em meu 1º dia de aula.
Eu me achava forte o suficiente para enfrentar os desafios que a nova vida iria me trazer.
Poucas semanas depois descobri aliviado que ela ainda estava lá, pronta para me defender não somente daqueles garotos brutamontes que me ameaçavam, como das dificuldades intransponíveis da tabuada.
Quando fiz 14 anos eu a matei novamente.
Não a queria me impondo regras ou limites, nem que me impedisse de viver a plenitude dos vôos juvenis.
Aos 18 anos achei que mataria minha mãe definitivamente, sem chances para ressurreição.
Entrara na faculdade, iria morar em república, faria política estudantil, atividades em que a presença materna não cabia em nenhuma hipótese.
Lei do engano:
Quando me descobri confuso sobre qual rumo seguir voltei à casa materna, único espaço possível de guarida e compreensão.
Aos 23 anos me dei conta de que a morte materna era possível, apenas requeria lentidão...
Foi quando me casei, finquei bandeira de independência e segui viagem.
Apesar de tudo continuei acreditando na tese da morte lenta e demorada, e aos poucos fui me sentindo mais distante e autônomo, mesmo que a intervalos regulares ela reaparecesse em minha vida desempenhando papéis importantes e únicos, papéis que somente ela poderia protagonizar...
Mas o final dessa história, ao contrário do que eu sempre imaginei, foi ela quem definiu:
Quando menos esperava, ela decidiu morrer.
Assim, sem mais, nem menos, sem pedir licença ou permissão, sem data marcada ou ocasião para despedida.
Ela simplesmente se foi, deixando a lição que mães são para sempre.
Ao contrário do que sempre imaginei, são elas que decidem o quanto esta eternidade pode durar em vida, e o quanto fica relegado para o etéreo terreno da saudade...
(Desconheço o autor)
É por isso que temos que amá-la sempre! E não matá-la em vida...
Nunca saberemos quando ela vai querer partir...
O vazio que fica, nunca conseguiremos preencher...
Para quem ainda a tem ao seu lado, ame-a...
Abrace-a sempre, dê-lhe colo...

E para quem já não a tem mais do seu lado...
Guarde suas lembranças no mais precioso dos baús...
Mesmo onde ela estiver, saiba que sempre ela vai entender o recado... E vai chorar, quando você chorar...

Vai sorrir quando você sorrir... Vai velar seu sono, quando fazia na época de criança...
Não espere ela partir para lhe dar AMOR.
Um dia você vai descobrir que talvez a pessoa que mais lhe amou na vida, foi ela...
Incondicionalmente...
Desde que você surgiu nesta vida...
Se ela estiver de seu lado, dê-lhe um beijo e um abraço e diga o que ela sempre quis ouvir:
MAMÃE, EU TE AMO! OBRIGADO POR VOCÊ EXISTIR!
E se ela já não estiver do seu lado...
Feche os olhos e faça uma prece para ela, agradecendo pela vida e também dizendo que a ama...
PAI NOSSO
Pai nosso que estás no céu e em toda parte, santificado seja o teu santo nome, venha a nós o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como nos círculos espirituais, o pão nosso de cada dia nos dai hoje Senhor, perdoai as nossas dívidas se nós perdoarmos os nossos devedores e não nos deixa cair em tentação, mas livra-nos do mal porque só em ti brilha a luz eterna, a luz do reino, da glória e do poder por todos os séculos sem fim.
Homenagem a uma pessoa muito especial
Muita luz pra você mãe, te amo muito.

AGRADECIMENTO
Obrigado Senhor!
Obrigado, Senhor, pela mãe que você me deu ...
... por todas as Mães do mundo
... pelas mães brancas, de pele alvinha ...
... pelas pardas, morenas ou bem pretinhas ...
... pelas ricas e pelas pobrezinhas ...
... pelas mães - titias, pelas mães - vovós, pelas madrastas - mães ,
... pelas professoras - mães ...
... pela mãe que embala ao colo o filho que não é seu ...
... pela saudade querida da mãe que já partiu ...
... pelo amor latente em todas as mulheres, que desperta ao sentir desabrochar em si uma nova vida ...
... pelo amor, maravilhoso amor que une mães e filhos ...
Eu lhe agradeço, Senhor!
Autor desconhecido


video